Os benefícios do exercício físico estão bem estudados. Conheça-os e saiba por que deve fazer um check-up antes de iniciar qualquer atividade física.

Sabemos que a maioria dos benefícios do exercício físico e desporto podem ser adquiridos com pelo menos 150 minutos de atividade moderada ou vigorosa por semana. Esta atividade pode ser distribuída em, por exemplo, 20 minutos diários ou 50 minutos, três vezes por semana.

O aumento do volume da atividade seja na intensidade, frequência ou duração podem ainda contribuir para benefícios adicionais. No entanto, é importante relembrar que mesmo algum tipo de atividade física é sempre melhor que nenhuma!

A prescrição de exercício físico deve ser adaptada individualmente em função dos objetivos do atleta e/ou das patologias de base do indivíduo.

Mas afinal quais os benefícios do exercício físico?

A investigação tem vindo a evidenciar que a prática regular de exercício físico tem diversos benefícios, tanto na saúde física, como mental.  Além de contribuir para um melhor controlo do peso devido ao gasto de calorias associado, a atividade física melhora a saúde cardiovascular, respiratória, metabólica, mental, ajudando até a prevenir quedas, especialmente no caso dos idosos.

Pessoas a praticar exercício físico no ginásio

Ajuda no controlo de peso

O exercício físico pode ter um impacto direto no controlo de peso, tendo em conta que permite o gasto de calorias. Assim, é possível equilibrar as calorias totais através da alimentação (as que ingerimos) e do exercício (as que gastamos). Conseguir uma gestão de calorias que vai ao encontro das nossas necessidades é essencial para evitar o ganho de peso e acumulação de gordura que pode dar origem a problemas de saúde, nomeadamente doenças crónicas.

Diminui a pressão arterial

Estudos demonstram que o exercício físico é capaz de controlar o valores da pressão arterial. Por essa razão, a Norma da Abordagem Terapêutica da Hipertensão Arterial da DGS sugere a prática regular e continuada de exercício físico, durante 30 a 60 minutos, quatro a sete dias por semana, principalmente aos indivíduos com níveis de pressão arterial elevados.

Contribui para o tratamento da doença coronária

O exercício físico melhora o perfil lipoproteíco, a proteína C reativa e outros marcadores biológicos. Nesse sentido, as guidelines da Sociedade Europeia de Cardiologia destacam o papel do exercício físico no tratamento e prevenção das doenças do coração.

Amplia a sensibilidade à insulina, tornando-a mais eficaz

Há evidência de que o exercício físico contribui para o controlo glicémico e da Diabetes Mellitus tipo 2. Por esse motivo, a Norma da Abordagem Terapêutica Farmacológica na Diabetes Mellitus Tipo 2 no Adulto da DGS recomenda a dieta e o exercício físico como duas medidas que contribuem para o controlo da diabetes, as quais devem ser, naturalmente, complementadas com a toma dos fármacos prescritos pelo médico.

O exercício físico estimula a produção de insulina e o seu transporte para as células. Isto, porque quando praticamos atividade física moderada a intensa, o pâncreas é estimulado a produzir insulina, o que vai permitir a entrada de glicose nas células musculares. Essa glicose será usada como energia pelos músculos e não ficará acumulada no sangue.

Para isso, bastam 150 minutos de atividade física moderada a intensa distribuídos ao longo da semana para usufruir deste efeito. Alguns dos exercícios físicos que podem ser feitos são, por exemplo: andar de bicicleta, caminhar (pelo menos 30 minutos, de preferência em piso plano e regular), fazer natação, passear o cão, praticar jogos coletivos (futebol, andebol, entre outros).

Aumenta a capacidade muscular e a flexibilidade, diminuindo o risco de queda

Principalmente nos idosos, o exercício físico pode aumentar a capacidade muscular e a flexibilidade, o que resulta numa redução do risco de queda. Além disso, a atividade física é capaz de preservar a massa óssea, tornando os ossos mais resistentes a fraturas.

Assim, a prática de exercício físico é recomendada, por exemplo, a quem sofre de osteoartrose do joelho, de acordo com as guidelines do American College of Rheumatology (ACR) e da European League Against Rheumatism (EULAR), e a quem tem osteoporose, segundo as guidelines internacionais.

Atua sobre diversos aspetos da saúde mental

O exercício físico também é capaz de reduzir a ansiedade; melhorar a sensação de bem-estar, a qualidade de vida e as funções cognitivas; e diminuir o risco de declínio cognitivo e de demência (em indivíduos acima dos 65 anos). Tem ainda impacto no índice de depressão, ajudando a diminuir esta prevalência e é essencial na melhoria dos padrões de sono.

Em adultos, sabemos que existe menor risco de:

  • Morte súbita;
  • Dislipidemia;
  • Síndrome metabólico;
  • Cancro do cólon e mama.

Os riscos da inatividade física e sedentarismo

Sabemos que a inatividade física é o quarto fator de risco de mortalidade a nível mundial.

De facto, o sedentarismo é um grande fator de risco de doenças cardíacas e cerebrovasculares, diabetes mellitus, hipertensão e alguns tipos de cancro. Em Portugal, está presente em 64% da população.

Combater a inatividade física é essencial para garantir o bom funcionamento do organismo e ajudar a diminuir a incidência de doenças crónicas.

Homem a fazer check up de desporto

Para que serve um check-up de desporto?

Antes de se iniciar na prática de exercício físico e desporto, pode ser necessário fazer um check-up, pois é importante adaptar a prática desportiva perante a existência de limitações médicas ou morfológicas e prevenir o agravamento pelo desporto de condições médicas pré-existentes.

Consulte o seu médico de medicina desportiva para prevenir riscos cardiovasculares e para prescrição de exercício específico com estratégias visando a prevenção de lesões.

MOVE: o check-up desporto da Unilabs

 

O MOVE, da Unilabs, é um check-up que engloba um pack de exames de diagnóstico e uma consulta de medicina desportiva. Visa avaliar a sua condição física para a prática desportiva e destina-se não só a iniciantes, mas também aos praticantes ocasionais, assíduos e atletas federados.

Importa voltar a sublinhar que um check-up de desporto é essencial para avaliar se a sua aptidão física e o seu estado de saúde se adequam à prática do exercício físico que realiza ou pretende praticar. Além disso, é uma forma de prevenir e reduzir o risco associado à ocorrência de eventos cardíacos durante a prática de exercício físico.

Quais os procedimentos envolvidos no check-up?

Após fazer a marcação do seu check-up, deverá deslocar-se à Unidade Unilabs no dia agendado. Se estiver no Porto deve dirigir-se à Unidade Unilabs | CASA SAÚDE BOAVISTA, na Rua Pedro Hispano, 881 (piso 0). Em Lisboa, deve dirigir-se à Unidade Unilabs no Areeiro, situada na Avenida Almirante Gago Coutinho, 2A a 4B.

Feito o check-in ser-lhe-ão feitos alguns exames, de acordo com a seguinte ordem:

1. Análises clínicas, que incluem:

  • Hemograma;
  • Glicemia em jejum;
  • Colesterol total;
  • Colesterol HDL;
  • Colesterol LDL;
  • Triglicéridos;
  • Urina tipo II;
  • Ferro;
  • Ferritina;
  • Magnésio.

2. Um eletrocardiograma;

3. Uma prova de esforço;

4. Ecocardiograma.

Posteriormente, terá uma consulta de medicina desportiva com um dos médicos especialistas da Unilabs. Tendo em conta o seu perfil e os seus objetivos relativamente à prática desportiva, poderá ser recomendada, durante esta consulta, a realização de outros exames complementares não incluídos no pack.

Importa, contudo, lembrar que deverá estar em jejum (de pelo menos 12 horas) antes da realização do check-up. Depois do procedimento, a Unilabs oferece-lhe um pequeno-almoço reforçado.

FAÇA O SEU CHECK-UP DE DESPORTO NUMA UNIDADE UNILABS PERTO DE SI
Marque os seus exames e consultas online, é muito simples!

Fazer marcação
Tags
Unilabs Autor Unilabs

Presente em Portugal desde 2006, a Unilabs é líder nacional em Diagnóstico Clínico, com mais de 1000 Unidades de atendimento ao seu dispor. Serviços: Análises Clínicas, Cardiologia, Anatomia Patológica, Radiologia, Genética Médica, Medicina Nuclear, Gastrenterologia.