Existem alimentos bons para o cérebro e memória, que evitam o declínio cerebral e as doenças neurodegenerativas, muito associadas ao envelhecimento do cérebro.

Os neurónios podem e devem ser estimulados de diferentes formas, ao longo de toda a vida, e a alimentação é um dos meios para isso.

Por isso, reunimos para si 11 alimentos bons para o cérebro e memória que não podem mesmo faltar na sua alimentação.

Importância de determinados nutrientes

Os alimentos interferem na estrutura e na saúde do cérebro. Ou seja, fazer uma dieta rica em alimentos bons para o cérebro e memória estimula o cérebro e melhora as funções cognitivas a curto, médio e longo prazo.

mulher vestida com camisola laranja feliz e saudável

Para termos uma capacidade cognitiva mais eficaz, devemos fazer uma alimentação rica em nutrientes, como ácidos gordos e ómega-3 (que constroem e reparam as células do cérebro), e antioxidantes (que diminuem o stress celular e a inflamação, principais causas do envelhecimento e das doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer). 1

Assim, de forma resumida, os alimentos bons para o cérebro e memória devem ser uma fonte rica em: 1

  • Antioxidantes, como flavonóides ou vitamina E;
  • Vitamina B;
  • Gorduras saudáveis;
  • Ácidos gordos e ómegas.

Lista de alimentos bons para o cérebro e memória

Uma dieta rica nos seguintes alimentos bons para o cérebro e memória ajuda a melhorar as funções do cérebro e a prevenir algumas doenças neurodegenerativas.

Contudo, importa reforçar a importância de ter um estilo de vida saudável, em que haja uma prática de exercício físico regular; uma boa higiene do sono; e se evite o consumo de tabaco, álcool, gorduras e açúcares. 1

Anote, agora, os 11 alimentos que não devem faltar na sua lista de supermercado. 1

Peixes gordos

salmãp grelhado no prato branco

Os peixes gordos são uma importante fonte de ómega-3 e de ácido docosa-hexaenoico (DHA).

Estes componentes são capazes de regular o funcionamento dos neurónios, bem como a capacidade do cérebro reter informações.

Alguns dos peixes ricos nestas substâncias são: o atum, o carapau, o salmão e as sardinhas.

Frutos secos e sementes

frutos secos e sementes na pedra

Os frutos secos e as sementes são uma fonte de ómega-3, de ómega-6, de vitaminas B6 e E, de ácidos gordos, de proteínas e de antioxidantes.

Todas estas substâncias melhoram a função cerebral, reduzindo o envelhecimento das células do cérebro, ao protegê-las de radicais livres e do seu efeito oxidativo.

Assim, estes alimentos são capazes de evitar a demência e a doença de Alzheimer, ao mesmo tempo que reforçam a memória e as funções cognitivas.

Alguns exemplos destes alimentos são: as nozes, as amêndoas e as sementes de girassol.

Espinafres

tigela espinafres em tábua de madeira

Os espinafres são ricos em vitamina E e em ácido fólico, razão pela qual evitam o desenvolvimento de tumores e de células cancerígenas, assim como desaceleram o envelhecimento dos neurónios.

Frutos vermelhos

prato branco com frutos vermelhos

Grande parte dos frutos vermelhos possui flavonóides, o que torna estes frutos em alimentos bons para o cérebro e memória. Os antioxidantes ajudam, ainda, na redução da inflamação e do stress oxidativo.

Muitos destes frutos têm fisetina, um flavonóide que melhora a comunicação entre neurónios, estimulando funções cognitivas, como a aprendizagem, a memória, o raciocínio e a atenção.

Além disso, estes alimentos evitam a perda de memória, o declínio cognitivo e as doenças neurodegenerativas, como a doença de Alzheimer. Na sua fruteira, deve ter sempre morangos, bagas de groselha, mirtilos, amoras, açaís, entre outros frutos vermelhos que preferir.

Ovos

ovo cozido em cima de uma tábua

Os ovos são ricos em vários nutrientes importantes para o cérebro, como é o caso do ácido fólico, da vitamina B6 e da vitamina B12. Estas vitaminas são mesmo capazes de prevenir o declínio cognitivo.

Além disso, a gema do ovo contém colina, componente que previne a demência relacionada com o envelhecimento, evitando doenças como o Alzheimer.

Esta mesma substância existe igualmente em alimentos como: o fígado, os brócolos, a couve-flor e o bacalhau.

Chocolate negro

chocolate negro partido em pedaços

O chocolate negro possui cacau, que possui flavonoides, um tipo de antioxidante. Os antioxidantes melhoram a saúde cerebral, pois protegem este órgão do stress oxidativo, provocado pelos radicais livres.

Assim, o chocolate negro melhora as funções cognitivas e a memória, prevenindo as doenças neurodegenerativas.

Este alimento é mesmo capaz de estimular a circulação sanguínea no cérebro, o que beneficia o funcionamento dos neurónios.

Cereais

cereais integrais com fibra

Os cereais são muito ricos em vitamina E, outra vitamina benéfica para a saúde do cérebro. Portanto, na sua alimentação, deve privilegiar alimentos como: arroz integral, cevada, trigo, aveia, pão integral e massa integral.

Cafeína (presente em alimentos)

café em todas as suas formas

A cafeína estimula a concentração e o foco, pois é capaz de bloquear os efeitos de um componente cerebral, a adenosina, que induz o sono.

Além disso, a cafeína também ajuda o cérebro a processar informações e a ter uma atividade mais complexa, fruto do aumento de uma substância cerebral, a entropia.

Finalmente, a cafeína é rica em antioxidantes, que combatem o envelhecimento cerebral, diminuindo o declínio cognitivo e o risco de doenças como o Alzheimer ou o Parkinson.

Este elemento pode ser encontrado inclusive no Chá Verde, cientificamente chamado de Camellia sinensis.

Amendoim

amendoins na tigela

O amendoim merece destaque pela sua riqueza nutricional. Este alimento é rico em proteínas e gorduras insaturadas, que regulam os níveis de energia. Além disso, o amendoim é uma fonte de vitaminas e de minerais (como a vitamina E e o resveratrol), que contribuem para melhorar a saúde do cérebro.

O resveratrol tem efeitos protetores importantes, já que evita a inflamação e as doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer e o Parkinson, além de prevenir o cancro.

Vegetais e verduras

vegetais e verduras batido

Os vegetais crucíferos são uma fonte de fibras e de nutrientes que beneficiam as funções cerebrais. Os brócolos, por exemplo, possuem glucosinolatos, substâncias que se decompõem em isotiocianatos. Estes últimos diminuem o stress oxidativo, reduzindo o risco de doenças neurodegenerativas.

Além disso, os brócolos possuem vitamina C e flavonóides, antioxidantes que melhoram o funcionamento cerebral.
Também as verduras, como as couves, podem melhorar a saúde do cérebro. Isto porque, as couves também têm glucosinolatos antioxidantes, vitaminas e minerais.

Por isso, tome nota dos legumes que não podem faltar em sua casa:

  • Couve de bruxelas;
  • Pak-choy;
  • Repolho;
  • Couve-flor;
  • Nabos;
  • Couve.

Soja

diferentes formas soja

Os alimentos com soja são uma importante fonte de polifenóis (isoflavonas) os quais, enquanto antioxidantes, diminuem o risco de demência e melhoram as funções cognitivas, à medida que se envelhece.

Agora que já conhece 12 alimentos bons para o cérebro e a memória, procure incluí-los na sua alimentação diária, de modo a contribuir para a prevenção de algumas doenças neurodegenerativas.

Se precisa da ajuda de um Nutricionista, não hesite!
Marque uma consulta e saiba como conseguir uma alimentação mais saudável.

Marcar agora

No entanto, não se esqueça que é importante ter um estilo de vida globalmente equilibrado, nomeadamente caraterizado pela realização de uma alimentação saudável e pela prática diária de atividade física.

+ Fontes

  1. Medical News Today.  (2020). 12 foods to boost brain function. Disponível em: https://www.medicalnewstoday.com/articles/324044
Unilabs Autor Unilabs

Presente em Portugal desde 2006, a Unilabs é líder nacional em Diagnóstico Clínico, com mais de 1000 Unidades de atendimento ao seu dispor. Serviços: Análises Clínicas, Cardiologia, Anatomia Patológica, Radiologia, Genética Médica, Medicina Nuclear, Gastrenterologia.