Não se assuste com os resultados das suas análises clínicas. Saiba como ler os parâmetros mais frequentes e de forma simples.

As análises clínicas são utilizadas como meio auxiliar de diagnóstico, tratamento e prevenção da doença. Estas servem para detetar, complementar ou confirmar um diagnóstico, sendo por isso fundamental realizá-las uma vez por ano para garantir que todos os parâmetros avaliados estão dentro da normalidade.

Para ler os resultados das análises clínicas é preciso ter presente que se trata de algo mais complexo do que uma simples comparação com valores de referência, uma vez que existem numerosos fatores que podem interferir com os valores finais.

Por exemplo a idade, o sexo, a situação clínica, medicação ou mesmo historial clínico e familiar são alguns dos fatores que devem ser tidos em conta aquando desta leitura.

Por vezes, a pesquisa deste tipo de informação na internet pode levar a conclusões de diagnóstico erradas, pelo que é fundamental que a interpretação dos resultados das análises clínicas e conclusão do panorama clínico seja feito pelo médico.

tubos-de-ensaio-resultados-das-analises-clinicas

Estrutura das análises clínicas

No sangue existem diversas substâncias que podem ser analisadas tais como proteínas, anticorpos, células, eletrólitos, colesterol, hormonas, drogas ou mesmo bactérias e vírus (em casos de infeção). Para conseguirmos dosear estas substâncias são realizadas análises clínicas que se dividem em:

A) Hemograma

  1. Eritrograma
  2. Leucograma
  3. Plaquetas

B) Bioquímica

  1. Glicose
  2. Ureia
  3. Creatinina
  4. Ionograma Sérico
  5. Ácido Úrico
  6. PCR – Proteína C reactiva
  7. PSA
  8. Albumina
  9. TGO-AST e TGP-ALT
  10. Gama-GT
  11. Fosfatase Alcalina
  12. Colesterol

C) Estudo da urina
D) Fezes

resultado-das-analises-clinicas-tubos-de-ensaio-deitados

Como ler os resultados das análises clínicas mais frequentes

Colesterol

Existem três valores importantes a analisar quando se fala de colesterol: colesterol bom (HDL), colesterol mau (LDL) e colesterol total. Os valores normais para cada tipo de colesterol são:

  • Colesterol Total 150 – 199 mg/dL;
  • HDL superior a 35mg/dL para os homens e 45mg/dL nas mulheres;
  • LDL inferior a 130mg/dL.

Glicose

Em casos como diabetes, os valores de glicose são um indicador muito importante quando se realizam análises clínicas uma vez que é a única forma de despistar esta doença. Por isso mesmo, e para conseguir interpretar os valores, deve saber que, em jejum, o valor de glicemia estar entre 70 e 105 mg/dL.

Eletrólitos

Os eletrólitos são os minerais responsáveis por manter o equilíbrio aquoso saudável e estabilizar o pH do organismo. Estes são importantes sobretudo para monitorização de doença como hipertensão arterial, insuficiência cardíaca, doença hepática ou renal.

Os micronutrientes analisados pode ser o sódio, potássio, cloro e cálcio e os seus valores de referência são:

  • Magnésio: entre 1,1 e 2 mEq/L;
  • Sódio entre 135 e 145 mmol/L;
  • Potássio entre 3,6 e 5,2 mmol/L;
  • Cloretos entre 99 e 109 mmol/L.

Ácido úrico

Se os níveis de ácido úrico no sangue estiverem muito elevados – hiperuricemia – podem indicar a presença de doenças metabólicas e renais, uma elevada ingestão proteica, álcool em excesso ou expressar o efeito secundário da ingestão de determinados medicamentos.

Os valores de referência desta análise clínica, que variam entre os 2,5 e os 8 mg/dL são importantes porque podem estar associados a patologias como a gota ou cálculos renais.

Albumina

Este é o nome da proteína que mais abunda no sangue e, portanto, trata-se de um parâmetro a analisar muito importante. A albumina é sintetizada no fígado e o défice desta proteína pode indicar que a alimentação que se está a fazer não é a mais saudável, ou a presença de uma doença hepática. Os valores de referência devem estar entre os 3,5 e os 5,5g/dL.

TEM ANÁLISES PARA FAZER?
Marque já os seus exames na unidade mais perto de si

Saiba mais!

Creatinina

A creatinina é um parâmetro que ajuda a avaliar o estado de renal: se esta substância se começar a acumular no sangue, porque não consegue ser eliminada através dos rins, pode ser sinal de insuficiência renal. Como tal, este indicador, cujos valores variam entre os 0,7 e 1,3 mg/dL, serve para diagnosticar ou acompanhar de perto a evolução e terapêutica de doenças renais.

Hemograma

Um hemograma é uma análise específica para medir o número de glóbulos vermelhos (hemácias ou eritrócitos), de glóbulos brancos (ou leucócitos), de plaquetas, de hemoglobina entre outros. Assim, os valores normais nas análises clínicas encontram-se entre:

  • 4,2 a 5,9 x 1012 células/ L para eritrócitos
  • 3,9 a 10,7 x 109 células/L para leucócitos
  • 150 a 350 x 109 células/ L para plaquetas
  • 12 a 16 g/dL em mulheres e 15 a 17 g/dL em homens para hemoglobina.

Urina

Mesmo sem fazer análises, a cor da urina revela, logo à partida, uma informação importante: o estado de hidratação. Se a urina estiver muito escura significa que pode estar a beber pouca água. O aspeto turvo pode indicar, por exemplo, a presença de leucócitos, sinal de infeção ou inflamação em algum ponto do trato urinário.

A deteção de uma quantidade anormal de proteínas na urina é indicador de doença renal, já a glicosúria (glicose na urina) pode surgir em casos de diabetes ou de disfunção tubular renal. Além destes parâmetros, é também importante o pH, que deve estar entre 5 e 9.

Fezes

Uma análise clínica às fezes, regra geral, não é pedida pelo médico como um exame de rotina. No entanto, caso seja pedido para despistar a presença de parasitas (vermes) a interpretação da análise é simples, com a designação “Não se observaram” em caso de ausência e, consequentemente, resultado negativo.

Em situações de suspeita da presença de sangue nas fezes, porque nem sempre pode ser visto a olho nu, a recolha de fezes faz-se para despistar problemas de maior como é o caso de um cancro. Uma análise às fezes apresenta o seguinte intervalo de valores:

Valores de Referência Resultado
0 – 10 Negativo
10 – 19 Positivo fraco
20 – 100 Positivo
100 ou superior Positivo forte

Em caso de suspeita de algum problema de saúde, não hesite em visitar o seu médico e solicitar um check-up completo. Lembre-se sempre que toda a avaliação e interpretação das análises clínicas deve ser feita pelo seu médico.

Unilabs Autor Unilabs

Presente em Portugal desde 2006, a Unilabs é líder nacional em Diagnóstico Clínico, com mais de 1000 Unidades de atendimento ao seu dispor. Serviços: Análises Clínicas, Cardiologia, Anatomia Patológica, Radiologia, Genética Médica, Medicina Nuclear, Gastrenterologia.