O exame PET ou Tomografia por Emissão de Positrões (PET) corresponde a uma técnica de imagem médica que faz uso de moléculas com um componente radioativo (radionuclídeo).

Estas moléculas são capazes de detetar e localizar reações bioquímicas que podem indiciar a existência de patologias oncológicas, cardiológicas ou neurológicas.

Em que circunstâncias é que este exame pode ser pedido e qual a preparação prévia necessária para o fazer é o que vamos explicar-lhe em seguida.

O que é o exame PET

O exame PET revela-se um exame de simples execução, indolor, não invasivo e extremamente seguro. Em comparação com a ressonância magnética ou a tomografia computorizada (TAC), ele afigura-se como mais completo, na medida em que consegue avaliar o modo como os órgãos e tecidos funcionam e contribuir para o diagnóstico e para o tratamento precoce de várias patologias, bem como para o seu seguimento..

É ainda um exame muito seguro, pois recorre a uma porção muito pequena de material radioativo com uma semi-vida muito curta, em média inferior a cerca de 106 minutos, sendo que esse material é rapidamente eliminado do organismo através da urina ao fim de apenas 2 a 10 horas.

Embora raros, os únicos efeitos secundários possíveis deste exame são alergia, dor, vermelhidão, e/ou inchaço na zona da injeção.1

técnica a realizar exame PET

Situações em que é realizado

Geralmente, o exame PET é recomendado quando há evidência da existência de uma lesão e é necessário determinar a sua natureza e localização. É, por isso, aconselhado para: 1

  • Diferenciar as lesões benignas das malignas;
  • Determinar o grau de malignidade da lesão;
  • Identificar o estádio da doença e evolução do cancro;
  • Avaliar a existência ou não de recorrência ou de doença residual;
  • Definir a localização de uma recidiva;
  • Apreciar a resposta ao tratamento;
  • Localizar um tumor para biópsia ou com fins terapêuticos.
  • Auxiliar no diagnóstico de doenças neurológicas, como o Alzheimer.

Preparação para o exame

A realização do exame PET pressupõe alguma preparação prévia que pode variar ligeiramente em função da tipologia de exame.2

Assim, antes de ser sujeito a este exame, o paciente pode ter de: 3

  • Fazer um período de jejum nunca inferior a quatro horas;
  • Beber cerca de 1,5L de água durante o período de jejum e urinar frequentemente;
  • Não fazer tratamentos de quimioterapia nas duas semanas anteriores à data de realização do exame;
  • Não fazer tratamentos de radioterapia nos dois a três meses anteriores à data de realização do exame;
  • Não praticar exercício físico no dia anterior ao do exame;
  • Beber aproximadamente 1,5L de água no dia anterior ao do exame;
  • Informar o médico da sua situação clínica, nomeadamente se for diabético ou intolerante à glicose ou se estiver a tomar corticoides ou medicamentos como a insulina, devem ser suspensos conforme orientação caso a caso;
  • Informar o médico, caso esteja grávida e/ou a amamentar. Geralmente as mulheres grávidas ou que estejam a amamentar, não são aconselhadas a realizar este exame de diagnóstico;
  • Pesar-se, de forma a que o médico calcule a dose de componente radioativo a administrar.
  • Evitar alimentos ricos em hidratos de carbono, nomeadamente, pão, massa, arroz, batata, doces, derivados do leite, nas últimas 24 horas que antecedem a realização do exame.

Preparação para o exame

A realização do exame PET pressupõe alguma preparação prévia que pode variar ligeiramente em função da tipologia de exame.2

Assim, antes de ser sujeito a este exame, o paciente pode ter de: 3

  • Fazer um período de jejum nunca inferior a quatro horas;
  • Beber cerca de 1,5L de água durante o período de jejum e urinar frequentemente;
  • Não fazer tratamentos de quimioterapia nas duas semanas anteriores à data de realização do exame;
  • Não fazer tratamentos de radioterapia nos dois a três meses anteriores à data de realização do exame;
  • Não praticar exercício físico no dia anterior ao do exame;
  • Beber aproximadamente 1,5L de água no dia anterior ao do exame;
  • Informar o médico da sua situação clínica, nomeadamente se for diabético ou intolerante à glicose ou se estiver a tomar corticoides ou medicamentos como a insulina, devem ser suspensos conforme orientação caso a caso;
  • Informar o médico, caso esteja grávida e/ou a amamentar. Geralmente as mulheres grávidas ou que estejam a amamentar, não são aconselhadas a realizar este exame de diagnóstico;
  • Pesar-se, de forma a que o médico calcule a dose de componente radioativo a administrar.
  • Evitar alimentos ricos em hidratos de carbono, nomeadamente, pão, massa, arroz, batata, doces, derivados do leite, nas últimas 24 horas que antecedem a realização do exame.

jovem a beber água

Procedimento

O primeiro passo do exame PET consiste em injetar numa veia periférica do paciente, uma pequena concentração de glicose no caso da PET com FDG. Para isso, é geralmente colocado um catéter intravenoso na mão ou no antebraço do doente.

Depois, passada cerca de uma hora sobre a administração da glicose, esta substância irá dirigir-se para as regiões do corpo em que há mais consumo de energia, o que costuma acontecer nas zonas com células cancerígenas, por exemplo.

Nessa altura, o paciente é colocado no equipamento, onde deve ficar imóvel, de maneira a evitar a distorção das imagens captadas, melhorando assim a leitura do exame. A realização do exame propriamente dito dura, em média, 25 a 45 minutos.

O exame PET oferece imagens tridimensionais da distribuição das moléculas pelo corpo, que se destacam por meio de pontos luminosos e fluorescentes.

Quando o equipamento PET está interligado a um sistema de Tomografia Computorizada, então é ainda possível acrescentar informação funcional e sobre a localização anatómica.1

Tipos de exame PET disponíveis na Unilabs

Há diferentes tipos de exame PET, cujo procedimento pode variar apenas em pequenos aspetos. Alguns desses tipos são:

  • Tomografia corporal com 18F-FDG (PET-CT com 18F-FDG);
  • Tomografia cerebral com 18F-FDG (PET-CT com 18F-FDG);
  • Tomografia corporal com 68 Ga-PSMA (PET-CT com 68Ga-PSMA);
  • Tomografia corporal com 18F-Colina (PET-CT com 18F-Colina);
  • Tomografia corporal com 68Ga-DOTANOC (PET-CT com 68Ga-DOTANOC);
  • Tomografia corporal com cerebral com 18F-Florbetaben (PET-CT com 18F-Florbetaben);
  • Tomografia corporal ou cerebral com 18F-DOPA;
  • Tomografia corporal com 18F-Fluoreto.

Se o seu médico lhe recomendou a realização deste exame, já sabe que não tem nada a temer.

Trata-se de um procedimento bastante seguro e indolor e que pode contribuir de forma determinante para um diagnóstico e tratamento precoces, independentemente da doença em causa.

FAÇA JÁ A SUA MARCAÇÃO DE EXAME PET
Marque online de forma fácil e rápida e cuide de si!

Marcar agora

+ Fontes

  1. RadiologyInfo.org. Positron Emission Tomography – Computed Tomography (PET/CT). Disponível em: https://www.radiologyinfo.org/en/info/pet#part_nine
  2. Universidade de Coimbra. Tipos de exames PET. Disponível em: https://www.uc.pt/icnas/informacao_para_doentes/infopaciente_pet/tipos_de_exames/
  3. Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra. Tomografia por Emissão de Positrões (PET). Disponível em: https://www.chuc.min-saude.pt/paginas/informacoes/ao-cidadao-utente/informacoes-de-saude/por-exame/medicina-nuclear/tomografia-por-emissao-de-positroes-pet.php
Tags
Unilabs Autor Unilabs

Presente em Portugal desde 2006, a Unilabs é líder nacional em Diagnóstico Clínico, com mais de 1000 Unidades de atendimento ao seu dispor. Serviços: Análises Clínicas, Cardiologia, Anatomia Patológica, Radiologia, Genética Médica, Medicina Nuclear, Gastrenterologia.