A eletromiografia ou eletroneuromiografia permite avaliar a atividade elétrica nervosa e muscular. Este é um exame complementar de diagnóstico, que recorre a técnicas eletrofisiológicas. 

O exame dura, em média, 10 a 30 minutos e o paciente pode estar na posição deitado ou sentado. Trata-se de um procedimento, normalmente, aconselhado em caso de formigueiros ou de fraqueza, dor e paralisia muscular. 

A eletromiografia ajuda, assim, a esclarecer se, na origem dos sintomas, está uma lesão no nervo ou uma doença neurológica. Fique a saber mais sobre este exame e como funciona.

Para que serve uma eletromiografia?

A eletromiografia é um exame médico eletrofisiológico que permite medir a resposta muscular à estimulação nervosa, permitindo avaliar a saúde dos músculos e das células nervosas que os controlam, denominados neurónios motores.

Essas alterações podem ter como sintomas modificações da sensibilidade ou da força ou dores nos membros. 1

Alguns exemplos dessas alterações são: 

  • A polineuropatia diabética, a qual causa o encortiçamento nos segmentos distais dos membros; 
  • Compressão ou lesão nervosa, como ocorre na síndrome do túnel cárpico, a qual causa formigueiros nas mãos e falta de força; 
  • As lombociatalgias, as quais têm origem numa hérnia discal (dor ciática); 
  • As radiculopatias, as quais causam dor em zonas como o pescoço ou os membros;
  • As doenças do neurónio motor, que causam falta de força generalizada e atrofias musculares, como a Esclerose Lateral Amiotrófica;
  • As doenças musculares, que causam dores musculares e falta de força, como é o caso da Miastenia Gravis.

imobilização do joelho do paciente

O que avalia

A eletromiografia avalia o funcionamento de estruturas neuromusculares e condução nervosa, e não oferece a mesma informação que exames de imagem, como a TAC ou a ressonância magnética. Por isso, pode ser recomendada a pessoas que sintam dores, alterações da sensibilidade ou falta de força. 

Este exame permite, ainda, o despiste de outras doenças, como a Fibromialgia. Como não tem contra-indicações, a eletromiografia pode ser realizada mesmo por grávidas e crianças, por exemplo.2

Preparação para o exame

A eletromiografia não exige uma preparação prévia muito complexa ou especial. 

Contudo, é importante:

  • Levar roupa que seja simples e prática de despir, para a colocação dos elétrodos no corpo;
  • Retirar pulseiras e anéis;
  • Não aplicar óleos, cremes ou hidratantes na pele, nem espuma ou laca no cabelo; 
  • Informar com antecedência sobre a medicação que se toma, já que a administração de alguns medicamentos (como os anticoagulante) deve ser interrompida durante alguns dias (cerca de três), antes da realização do exame.

Passo a passo da eletromiografia

Os elétrodos usados emitem e recebem correntes elétricas de baixa intensidade. Essas estimulações elétricas dos nervos são seguras e provocam uma leve sensação de choque elétrico, que pode ser desconfortável, mas completamente suportável. 

Durante a realização do exame, pode ser pedido ao paciente que faça certos movimentos corporais, como fletir uma perna ou um braço, de modo a avaliar a resposta muscular a determinada estimulação nervosa (electroneurografia para estudo da condução nervosa).

Em alguns casos, podem ser usados microelétrodos, que são colocados dentro de agulhas pequenas e finas. Essas agulhas são inseridas nos músculos e permitem recolher sinais elétricos mais precisos (eletromiografia para estudo da atividade biomuscular). 

No final do exame, os músculos podem ficar doridos e a região avaliada apresentar algumas nódoas negras.3

Resultados

As correntes elétricas são amplificadas e registadas no eletromiógrafo, um equipamento especializado e de elevada tecnologia. 

Através da interpretação desses sinais, é possível avaliar as características da condução nervosa (velocidade, amplitude, morfologia,…) de um nervo e, assim, chegar a um diagnóstico clínico.

Além do equipamento específico, este exame deve ser realizado por um médico especialista em patologia neurológica, no âmbito das doenças neuromusculares. 

exames médicos em cima de mesa do médico

Quando recorrer à eletromiografia

Como ficou claro, a eletromiografia é um exame recomendado sempre que existe a manifestação de sintomas como:

  • Formigueiros;
  • Fraqueza, dor e paralisia musculares;
  • Alterações da sensibilidade ou da força dos membros.

Uma vez que se trata de um procedimento bastante seguro, ele não possui contra-indicações permitindo, de forma prática e eficaz, o diagnóstico de lesões nos nervos ou de doenças neurológicas.

Contudo, para uma avaliação correta e adequada dos resultados da eletromiografia, não se esqueça que deve sempre recorrer aos serviços de um médico especialista em patologia neurológica, no âmbito das doenças neuromusculares.

CUIDE DA SUA SAÚDE DA MELHOR FORMA
Marque já as suas consultas/exames. É muito simples

Marcar agora

+ Fontes

  1. Mayo Clinic. Electromyography (EMG). Disponível em: https://www.mayoclinic.org/tests-procedures/emg/about/pac-20393913
  2. Healthline. Electromyography (EMG). Disponível em: https://www.healthline.com/health/electromyography#preparation
  3. Levin, Michael C. (2018). Eletromiografia (EMG) e estudos de condução nervosa. Disponível em: https://www.msdmanuals.com/pt-pt/profissional/dist%C3%BArbios-neurol%C3%B3gicos/exames-e-procedimentos-neurol%C3%B3gicos/eletromiografia-emg-e-estudos-de-condu%C3%A7%C3%A3o-nervosa
Unilabs Autor Unilabs

Presente em Portugal desde 2006, a Unilabs é líder nacional em Diagnóstico Clínico, com mais de 1000 Unidades de atendimento ao seu dispor. Serviços: Análises Clínicas, Cardiologia, Anatomia Patológica, Radiologia, Genética Médica, Medicina Nuclear, Gastrenterologia.