A biópsia da mama é um procedimento médico fundamental no esclarecimento de alterações mamárias que surgem na sequência de uma tumefação palpável ou de uma alteração detetada num exame mamário, nomeadamente numa mamografia, ecografia ou numa ressonância mamária.

Mas será este exame doloroso? Quanto tempo demora? E como é que tudo funciona? Respondemos a estas e a outras questões mais recorrentes.1

Tipos de biópsia da mama

A biópsia da mama consiste na obtenção de tecido mamário para análise laboratorial.

Existem três tipos de biópsias da mama: biópsia citológica (biópsia aspirativa por agulha fina), biópsia histológica (microbiópsia ou corebiopsia) e biópsia cirúrgica.

Punção aspirativa por agulha fina (PAAF)

Este procedimento consiste na aspiração de células da lesão em causa, utilizando uma seringa e uma agulha fina. Visto que se obtêm apenas algumas células da lesão, o que limita a capacidade de diagnóstico, este procedimento é cada vez mais reservado apenas para as situações em que existem lesões claramente benignas como é o caso da maioria dos cistos mamários.

É um procedimento simples, rápido e que dispensa geralmente a anestesia local. As complicações deste procedimento são desprezáveis.

Biópsia com agulha grossa (ou corebiopsia)

Este procedimento consiste na obtenção de um fragmento da lesão, implicando um sistema de corte com agulha grossa ou um sistema da remoção dos fragmentos por vácuo.

Trata-se de um procedimento mais invasivo, mais demorado e que implica a administração de um anestésico local.

Permite contudo um diagnóstico mais aprofundado, pelo que é utilizado na generalidade das lesões indeterminadas ou suspeitas. Ocasionalmente pode originar um hematoma transitório no local da punção.

mulher a analisar amostra ao microscópio

Biópsias cirúrgicas

Este procedimento consiste na realização de uma pequena cirurgia/incisão na mama para remoção da totalidade ou de parte do nódulo existente na mama. É naturalmente mais invasivo do que os anteriores, implicando um bloco operatório.

Este procedimento é, normalmente, feito em regime de ambulatório (não necessitando de internamento), com anestesia local ou geral e com a duração média de 30 minutos a uma hora.2

As biópsias cirúrgicas podem ser incisional (parcial) e excisional (total):

  • Biópsia incisional (parcial): retira apenas parte da área suspeita para analisar;
  • Biópsia excisional (total): retira toda a massa ou a área anómala. Neste último caso, a biópsia pode funcionar como uma espécie de cirurgia, que visa a eliminação do próprio cancro.

Biópsia guiada por imagem

A biópsia citológica ou histológica pode ser:

  • Realizada por palpação: no caso das lesões palpáveis;
  • Guiada por um método de imagem: no caso das lesões não palpáveis ou quando se pretende um grau de precisão maior.

Nestes casos utiliza-se a ecografia, a mamografia ou a ressonância magnética para guiar o procedimento e assegurar que a agulha é corretamente introduzida na lesão.

Ecografia mamária

A ecografia é o método mais simples e é usada para estudar e detetar possíveis lesões existentes.

Mamografia

A mamografia é utilizada nas lesões não visíveis na ecografia mas visíveis na através deste exame, sendo geralmente microcalcificações indeterminadas ou suspeitas, Requer a utilização de um sistema específico acoplado à mamografia, designado por esterotaxia.

Ressonância magnética

A ressonância magnética utiliza-se em lesões não visíveis na ecografia nem na mamografia mas visíveis na ressonância magnética. É um sistema mais elaborado, necessitando de equipamento específico.

Como se realiza a biópsia da mama

O modo de realização da biópsia pode variar ligeiramente em função do tipo de biópsia em questão. Porém, regra geral, é este o passo a passo: 3

  1. Deitar o paciente na marquesa, posicionando-o de acordo com o tipo de biópsia realizado;
  2. Administrar uma pequena injeção de anestesia local na zona da intervenção. Este passo é dispensável na biópsia citológica, aspirativa;
  3. Identificar a lesão em causa, seja pela palpação, seja pelo método de imagem;
  4. Se necessário fazer uma pequena incisão na pele, de modo a permitir a entrada da agulha que vai recolher as amostras para análise;
  5. Obtenção do material necessário e adequado;
  6. Compressão do local da intervenção, colocação de um penso e eventual aplicação de gelo.

TEM INDICAÇÃO PARA UMA BIÓPSIA À MAMA?
Não adie. Marque online, é muito simples!



Marcar agora

Cuidados pós-biópsia

As complicações do procedimento são habitualmente pouco importantes, podendo ocorrer um hematoma ou raramente, uma infeção. Pode ser útil aplicar gelo no local da punção.

O paciente pode retomar a sua rotina habitual, evitando esforços imediatos no caso das biópsias histológicas ou cirúrgicas.

mulher a fazer palpação mamária

Resultados: positivo vs negativo

As biópsias podem ter três resultados possíveis: benigno (ou seja, o achado não é cancro); maligno (o achado é cancro); ou insatisfatório (a análise ao achado foi inconclusiva).

No caso das lesões benignas justifica-se apenas o acompanhamento da lesão. No caso das lesões malignas pode ser útil o aprofundamento dos resultados através de testes de imunicitoquímica. Será depois definido o tipo de tratamento indicado.

Se o achado for inconclusivo, poderá ser necessário voltar a recolher tecido, ou ponderar a remoção da lesão.

Onde fazer

Se o seu médico recomendou que fizesse uma biópsia da mama, não deve adiar a marcação e a realização desse exame. Este pode ser essencial no diagnóstico de qualquer suspeita clínica ou imagiológica de lesão mamária.

Independentemente do resultado, este exame é fundamental para que o médico possa determinar um diagnóstico e quais os passos que deve seguir, após a conclusão do relatório e a interpretação dos resultados da biópsia mamária.

A Unilabs coloca à sua disposição uma equipa profissional e experiente na realização deste procedimento, oferecendo ainda acordos com vários sistemas e subsistemas de saúde, para a realização deste procedimento médico. Não adie mais o agendamento de um exame tão importante como este.

+ Fontes

  1. Cancro online. Diagnóstico. Disponível em: https://www.cancro-online.pt/cancro/informacao-basica/diagnostico/
  2. Fundo IMM-Laço. Tipos de biópsias. Disponível em: https://fundoimmlaco.pt/wp-content/uploads/2013/12/Tipos_de_biopsia.pdf
  3. IPO de Lisboa. (2019). Biópsia Tecido Mamário. Disponível em: https://www.ipolisboa.min-saude.pt/wp-content/uploads/2020/04/BI%C3%93PSIA-TECIDO-MAM%C3%81RIO.pdf
Tags
Unilabs Autor Unilabs

Presente em Portugal desde 2006, a Unilabs é líder nacional em Diagnóstico Clínico, com mais de 1000 Unidades de atendimento ao seu dispor. Serviços: Análises Clínicas, Cardiologia, Anatomia Patológica, Radiologia, Genética Médica, Medicina Nuclear, Gastrenterologia.