Há indivíduos que pelas suas morbilidades fazem parte dos grupos de risco da COVID-19. Fique a perceber porquê e quais os cuidados a ter.

Os grupos de risco da COVID-19 reúnem pessoas mais vulneráveis à infeção pelo novo coronavírus. No fundo, isso significa que, no caso de contraírem este vírus, estas pessoas podem desenvolver sintomatologia mais grave e necessitar de assistência hospitalar mais intensiva.

Em comum entre estes grupos de risco da COVID-19 está, frequentemente, um sistema imunitário mais fragilizado e que, por isso, pode ter maior dificuldade em combater uma infeção respiratória como a provocada pelo novo coronavírus.

Grupos de risco da COVID-19: as pessoas mais vulneráveis

De um modo geral, podemos dizer que os grupos de maior risco, em caso de infeção por COVID-19, são:

  • os idosos (com mais de 65 anos)
  • doentes crónicos (entre os quais pessoas com doenças cardíacas e pulmonares, doença oncológica, diabetes, hipertensão arterial)
  • doentes com sistema imunitário comprometido (entre os quais doentes que estejam em tratamento para quimioterapia e doenças autoimunes, com VIH e ainda transplantados)

O motivo para estes serem grupos de risco deve-se ao facto de terem um sistema imunitário habitualmente mais frágil e outras morbilidades associadas. Além disso, até agora, as taxas de mortalidade registadas em vários países confirmam esta mesma ideia.

É fácil perceber que as pessoas de idade avançada, os profissionais de saúde e os indivíduos com doenças pré-existentes ( doenças respiratórias, por exemplo) correm mais riscos, em caso de infeção.

Em Portugal, há milhões de pessoas que se inserem nestes grupos de risco, as quais devem reforçar as medidas de higiene e de distanciamento social.

As grávidas e crianças incluem-se nos grupos de risco?

As grávidas não estão propriamente inseridas nos grupos de risco da COVID-19, embora as alterações no seu sistema imunitário e fisiológico as possa tornar mais suscetíveis a infeções respiratórias, como a do novo coronavírus.

As crianças, ao contrário do que é habitual em muitas doenças, não estão incluídas nos grupos de risco, sendo mesmo consideradas um grupo de baixo risco, normalmente assintomático ou com sintomas mais leves.

Grupos de risco COVID-19: doentes oncológicos

1. Doentes oncológicos

Os pacientes oncológicos, principalmente os que estão a fazer tratamentos, possuem um sistema imunitário mais enfraquecido, o que promove mais complicações, em caso de infeção por COVID-19.

Portanto, os doentes oncológicos devem, igualmente, cumprir as medidas de prevenção da COVID-19, como o distanciamento social.

Por ser um grupo bastante sensível, a Liga Portuguesa Contra o Cancro – Núcleo Regional do Norte (LPCC-NRN) criou uma linha telefónica gratuita para apoiar os doentes oncológicos durante esta pandemia – a Linha Oncológica COVID-19 (800 919 232).

2. Diabéticos

Segundo o Serviço Nacional de Saúde (SNS), os diabéticos devem evitar sair de casa, pois o seu sistema imunitário é mais frágil, tornando-os mais suscetíveis a complicações em caso de infeção pelo novo coronavírus.

Assim, o SNS recomenda fortemente a adoção das medidas de prevenção do contágio, como o distanciamento e isolamento sociais, a lavagem correta e frequente das mãos e a prática de uma boa etiqueta respiratória1 .

A Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal (APDP) alerta para a necessidade dos diabéticos terem cuidados redobrados e adotarem medidas de controlo, como verificar a glicemia e a cetona e ainda2 :

  • Respeitar a toma da medicação para a diabetes, como o tratamento com insulina;
  • Controlar a glicemia a cada 4 horas;
  • Fazer uma boa alimentação;
  • Consumir bebidas não açucarados, de meia em meia hora;
  • Medir a temperatura corporal de manhã e à noite.

Grupos de risco COVID-19: asmáticos

3. Asmáticos

O SNS assume que os asmáticos pertencem ao grupo de risco da COVID-19. Por isso, estes doentes devem respeitar as medidas recomendadas pela Direção-Geral da Saúde, tais como1 :

  • Ficar em casa;
  • Evitar o contacto próximo com pessoas;
  • Fazer a medicação habitual;
  • Ventilar, aspirar e limpar bem a sua habitação, de modo a reduzir a concentração de alergénios e de poluentes no espaço;
  • Cumprir as normas de higiene e etiqueta respiratória;
  • Em situação de crise, os asmáticos devem tomar a medicação de SOS e contactar de imediato a linha de saúde 24 (808 24 24 24) ou, em casos mais urgentes, o 112.

Grupos de risco COVID-19: idoso com máscara

4. Idosos

De acordo com o SNS, as pessoas com mais de 70 anos integram os grupos de risco da COVID-19. Logo, é sugerido que estes indivíduos pratiquem o isolamento domiciliário, saindo apenas para afazeres como ir ao banco, aos correios, ao supermercado, ao centro de saúde, passear por breves minutos. Isto, respeitando sempre as medidas de prevenção do contágio pela COVID-191 .

Os principais riscos deste grupo estão relacionados com a sua idade avançada, o seu sistema imunitário eventualmente mais débil e as prováveis morbilidades associadas. Por isso, a taxa de mortalidade da COVID-19 é, a nível mundial, maior entre a população idosa.

TESTE OS SEUS ANTICORPOS SANGUÍNEOS
Marque o seu teste numa das unidades Unilabs em funcionamento

Marque já o seu teste

+ Fontes

  1. Serviço Nacional de Saúde. Grupos de risco. Disponível em: https://www.sns24.gov.pt/tema/doencas-infecciosas/covid-19/grupos-de-risco/#sec-0
  2. Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal. Coronavírus e Diabetes. Disponível em: https://apdp.pt/coronavirus-e-diabetes/
Unilabs Autor Unilabs

Presente em Portugal desde 2006, a Unilabs é líder nacional em Diagnóstico Clínico, com mais de 1000 Unidades de atendimento ao seu dispor. Serviços: Análises Clínicas, Cardiologia, Anatomia Patológica, Radiologia, Genética Médica, Medicina Nuclear, Gastrenterologia.