Devido à COVID-19, há atividades de maior e menor risco, tendo em conta o maior ou menor nível de exposição ao novo coronavírus. Saiba o que dizem os especialistas.

Desde que a pandemia de COVID-19 se instalou em todo o mundo que os nossos comportamentos e rotinas sofreram algumas alterações. No nosso país, é obrigatório usar máscara em espaços fechados, como nos transportes públicos, escolas, comércio e em locais abertos, sempre que não seja possível manter, relativamente a outras pessoas, o distanciamento físico de 1,5 a 2 metros.

Além disso, há outras atitudes que é aconselhável adotar para evitar a contaminação com o novo coronavírus. Usar lenços descartáveis e luvas; respeitar a etiqueta respiratória; lavar e desinfetar frequentemente as mãos; evitar expor o corpo; apanhar o cabelo; cumprir o distanciamento físico; e não tocar na máscara enquanto a usa; são alguns dos comportamentos recomendados para minimizar o risco de transmissão do novo coronavírus 1.

Ainda assim, é impossível reduzir para zero o risco de contaminação e, por isso, alguns especialistas classificaram, quanto à COVID-19, quais as atividades de maior e menor risco.

COVID-19: saiba quais as atividades diárias com maior e menor risco de contágio

Mesmo seguindo e cumprindo todos os protocolos de higiene e de segurança estabelecidos, a contaminação pelo novo coronavírus é sempre possível. Além da transmissão através do contacto próximo com uma pessoa infetada, o Sars-CoV-2 pode ainda ser transmitido por meio do toque em superfícies contaminadas.

Como qualquer vírus, também o novo coronavírus é invisível a olho nu, o que dificulta em muito a nossa tarefa de “fugir deste inimigo” e reforça a ideia de que não podemos descurar nenhum cuidado, nem proteção.

Contudo, há espaços e contextos em que o risco de transmissão é, claramente, superior ou inferior e há atividades diárias com maior e menor risco de contágio. Muitas vezes, esse maior ou menor risco está relacionado com as condições de ventilação do espaço em que nos encontramos, assim como com o número de pessoas que o frequentam. Fique a saber mais.

Comité de Doenças Infeciosas da Associação Médica do Texas (EUA)

O ranking ou a escala que apresentamos em seguida é da responsabilidade do Comité de Doenças Infeciosas da Associação Médica do Texas (EUA).

Na base desta lista, está um estudo levado a cabo por diversos físicos que tiveram em conta várias atividades e as suas principais caraterísticas, nomeadamente o espaço em que têm lugar e o distanciamento físico que é possível manter em cada uma delas 2.

É importante frisar que mesmo as atividades consideradas como sendo de menor risco não dispensam a adoção de todas as medidas preventivas do contágio. Aliás, os resultados desta investigação tiveram como base o princípio de que estas atividades são postas em prática respeitando todas as medidas de prevenção da contaminação. Ainda assim, há algumas que podem ser tidas como mais arriscadas do que outras.

Risco baixo

Mulher a abastecer automóvel num posto de combustível

  • Abrir o correio;
  • Encomendar comida;
  • Pôr gasolina;
  • Jogar ténis;
  • Acampar.

Risco baixo a moderado

Almoçar na esplanada de um restaurante

  • Ir à mercearia;
  • Caminhar, correr ou andar de bicicleta acompanhado;
  • Jogar golfe;
  • Ficar num hotel durante duas noites;
  • Sentar-se na sala de espera de um consultório;
  • Ir a uma biblioteca ou a um museu;
  • Comer na esplanada de um restaurante;
  • Andar numa zona movimentada;
  • Passar uma hora num parque infantil.

Risco moderado

Casal a fazer compras num centro comercial

  • Jantar em casa de alguém;
  • Ir a um churrasco ao ar livre;
  • Ir à praia;
  • Fazer compras num centro comercial;
  • Levar os filhos à escola, creche ou campo de férias;
  • Trabalhar num escritório durante a semana;
  • Nadar numa piscina pública;
  • Visitar um familiar ou amigo idoso em sua casa.

Risco moderado a alto

Mulher num cabeleireiro

  • Ir ao cabeleireiro ou barbeiro;
  • Comer dentro de um restaurante;
  • Ir a um casamento ou a um funeral;
  • Viajar de avião;
  • Jogar basquetebol;
  • Jogar futebol;
  • Abraçar ou dar um aperto de mão a um amigo.

Risco alto

  • Comer num buffet;
  • Treinar num ginásio;
  • Ir a um parque de diversões;
  • Ir a um cinema;
  • Ir a um grande concerto;
  • Ir a um estádio;
  • Ir a uma cerimónia religiosa com mais de 500 pessoas;
  • Ir a um bar.

Alguns cuidados a ter nas atividades diárias

Mesmo as atividades diárias mais arriscadas podem ver o seu nível de risco minorado, se adotarmos alguns gestos e comportamentos preventivos do contágio.

Muitos desses cuidados são transversais e passam, nomeadamente, pelo uso da máscara, pela lavagem das mãos e pelo distanciamento físico. Porém, há outros mais específicos que, dependendo da circunstância, podem oferecer mais alguma segurança e proteção.

Cuidados a ter no trabalho

  • Desinfetar frequentemente os locais e as superfícies;
  • Reduzir a lotação dos espaço para ⅔;
  • Usar máscara;
  • Higienizar regularmente as mãos;
  • Garantir o cumprimento do distanciamento físico;
  • Criar equipas rotativas;
  • Privilegiar o sistema de atendimento por marcação prévia (se aplicável);
  • Respeitar o cumprimento de todas estas medidas, mesmo nos intervalos ou momentos de pausa e de convívio;
  • Não partilhar objetos ou comida;
  • Não dar apertos de mão, beijos ou abraços aos colegas;
  • Privilegiar as reuniões por teleconferência, sempre que possível.

Mulher a desinfetar mãos com álcool-gel

Cuidados a ter no ginásio

  • Desinfetar frequentemente os locais e as superfícies;
  • Higienizar regularmente as mãos;
  • Garantir o cumprimento do distanciamento físico (pelo menos 3 metros);
  • Marcar previamente as aulas e treinos;
  • Usar máscara (com exceção do período de aulas e treinos);
  • Evitar o contacto físico;
  • Colocar os óculos de natação na piscina;
  • Não utilizar saunas, banhos turcos, solários ou hidromassagens.

Cuidados a ter nas compras

  • Usar máscara;
  • Higienizar regularmente as mãos;
  • Garantir o cumprimento do distanciamento físico (cerca de 2 metros);
  • Evitar tocar nos olhos e na máscara;
  • Cumprir a etiqueta respiratória;
  • Desinfetar o carrinho das compras;
  • Evitar tocar em demasia nos alimentos;
  • Privilegiar os pagamentos por multibanco e contactless;
  • Tentar passar o menor tempo possível no supermercado.

Cuidados a ter num restaurante

  • Usar máscara (retirando-a, apenas, no momento de comer e de beber);
  • Higienizar regularmente as mãos;
  • Garantir o cumprimento do distanciamento físico (1,5 a 2 metros);
  • Reservar previamente a mesa;
  • Privilegiar os pagamentos por multibanco e contactless;
  • Evitar tocar em objetos e superfícies de que não precise;
  • Cumprir a etiqueta respiratória.

Apesar de algumas atividades quotidianas comportarem um maior risco de contrair o novo coronavírus do que outras, é certo que nem sempre, nem todos, podem eliminar essas mesmas atividades do seu dia a dia.

Portanto, a ideia é que esteja consciente dos riscos envolvidos e que se tente proteger ao máximo desses mesmos riscos, não descurando nas medidas gerais de prevenção do contágio e adotando alguns cuidados mais específicos, em função das condições do espaço onde se encontra.

FAÇA A MARCAÇÃO DO TESTE À COVID-19 ONLINE!
É fácil, rápido e seguro.

Marcar teste

+ Fontes

  1. Direção-Geral da Saúde. COVID-19: Distanciamento Social. Disponível em: https://covid19.min-saude.pt/wp-content/uploads/2020/04/Distanciamento-social.pdf
  2. ABC Action News. Texas Medical Association ranks activities by COVID-19 risk level. Disponível em: https://www.abcactionnews.com/news/coronavirus/texas-medical-association-ranks-activities-by-covid-19-risk-level
Unilabs Autor Unilabs

Presente em Portugal desde 2006, a Unilabs é líder nacional em Diagnóstico Clínico, com mais de 1000 Unidades de atendimento ao seu dispor. Serviços: Análises Clínicas, Cardiologia, Anatomia Patológica, Radiologia, Genética Médica, Medicina Nuclear, Gastrenterologia.